Governo escolhe “a dedo” quem será protegido da Reforma Administrativa

Governo escolhe “a dedo” quem será protegido da Reforma Administrativa

Governo escolhe “a dedo” quem será protegido da Reforma Administrativa

Com o apoio popular despencando e dificuldades no Congresso para aprovar sua proposta de Reforma Administrativa (PEC 32/2020), o Governo Federal vem tentando agradar alguns segmentos, escolhidos “a dedo”.

😓 Com isso, o governo deixa evidente que aquele discurso de “acabar com privilégios” não passa de uma grande farsa.

Enquanto penaliza servidores de áreas essenciais como Saúde e Educação que, em sua maioria, ganham até R$ 3 mil reais, perderão sua estabilidade e poderão ter 25% do salário reduzido, o governo tenta conseguir apoio da chamada Bancada da Bala, com benefícios a militares das forças armadas e a agentes de segurança pública.

 🤔Não por acaso, são setores que vêm recebendo benesses do governo.

➡O governo Bolsonaro negociou a inclusão de benefícios para policiais, como aposentadoria integral e paridade com servidores da ativa. Os profissionais de segurança também não perderão sua estabilidade, ao contrário de categorias como a de professores e profissionais de saúde que, inclusive, poderão ser contratados temporariamente por até dez anos.

 ❗Jair Bolsonaro governa só para ‘alguns’, porque não acredita que os direitos sociais deveriam ser de todos. Por isso, usa o poder como moeda de troca para suas ambições políticas. Para além disso a privatização é uma forma de destruição do Estado, em um grave ataque à democracia e à participação popular.

A Reforma Administrativa destrói os serviços públicos e o futuro do nosso país! 😫

#serviçopúblicoparatodos #ServiçoPúblico #ÉPublico #ÉpraTodos #ValorizeOServidor #ReformaAdministrativaNão #PEC32Não